S 31°39.813’
W 51°27.153’ #1
Bojuru, RS

S 31°39.813’
W 51°27.153’ #2
Bojuru, RS
Valderi e Julia
O casal Valderi e Julia vive no sítio Tropa Velha, onde Valderi nasceu e cresceu. Cultivam diversos produtos como cebola, milho, feijão, batata, abóbora, além de criar galinhas, marrecos e porcos. Consideram-se quase auto-suficientes. Valderi tem o habito de recolher cães abandonados. Sente pena e acaba adotando os bichinhos. Foi o que aconteceu com os três que possui atualmente, seus companheiros de  varanda nos fins de tarde regados a chimarrão.

S 31°39.813’
W 51°27.153’ #3
Bojuru, RS

S 31°39.813’
W 51°27.153’ #4
Bojuru, RS

S 31°39.813’
W 51°27.153’ #5
Bojuru, RS

S 31°50.014’
W 051°45.034’ #1
Estreito, RS
Pierre
Há 2 anos, Pierre deixava a cidade para trabalhar como representante comercial no interior. Trocava a aglomeração e o agito pelo amplo espaço e pela calmaria. Via na mudança a ausência de concorrência, característica de lugares comercialmente pouco explorados. Hoje, não abre mão do trabalho ao estilo “caixeiro viajante”, do desfrute das belas paisagens e da liberdade da estrada.

S 31°50.014’
W 051°45.034’ #2
Estreito, RS

S 31°50.014’
W 051°45.034’ #3
Estreito, RS
Laudeci
Natural de Estreito, Laudeci mudou-se para São José do Norte e foi trabalhar em uma lanchonete. Cansada de depender de outros, resolveu retornar ao vilarejo natal e abrir o próprio negócio. Há 10 anos, Laudeci mantém a Mercearia Silva Jardim, situada à beira da rodovia. Costuma receber muitos viajantes. Não há hotéis por perto, nem muito comércio. Por vezes, disponibiliza sua cozinha para que preparem suas refeições. Ou ainda negocia com o vizinho a acolhida de alguém em seu galpão durante as noites frias de inverno. Por ali, já passaram ciclistas e andantes, para Laudeci, aventureiros. Confiaram-lhe, entre as paredes de sua mercearia, histórias, segredos e sonhos.

S 31°50.014’
W 051°45.034’ #4
Estreito, RS

S 31°58.487’
W 52°00.202’
Pedro
Em outubro de 2012, Pedro deixou Florianópolis com o intuito de realizar uma longa viagem de bicicleta. Insatisfeito com uma existência “conforme às normas” , resolveu dar uma reviravolta em sua vida. Largou trabalho, casa e família para conhecer lugares, ao azar das paisagens e dos encontros. Há tempos cogitava a viagem, mas faltava coragem e estímulo para “levantar as âncoras”, como ele diz. A coragem surgiria aos poucos. Primeiro, mudou de cidade e trocou o carro pela bicicleta. Em seguida, passou a fazer escalada e cicloturismo. Mas o grande propulsor foi um encontro com um grupo de quatro franceses que rodavam o mundo de bicicleta, os quais alojara em sua casa. Para Pedro, foi como ver outros realizando seu próprio sonho. A partir daí, passou a acreditar que seria possível.

Para acessar o blog do Pedro, aqui…

Anúncios