S 29°58.616’
W 050°20.089’
Osório, RS

S 29°52.561’
W 050°15.404’
Osório, RS

S 29°21.076’
W 049°47.817’

S 29°12.588’
W 049°45.363’
São João do Sul, SC

S 28°48.228’
W 049°22.062’
Criciúma, SC
Valdeci (vulgo Gaiola)
Gaiola é um homem só. Passa seus dias no local ocupado por um posto de combustíveis e um restaurante. Quando não toma conta dos carros que ali estacionam, ajuda os caminhoneiros a descarregar os caminhões. Trabalha e espera que as pessoas se prontifiquem a lhe pagar. Diz sentir-se intimidado para cobrar pelos serviços que presta.

S 28°40.705’
W 49°08.223’
Morro Grande, SC

S 28°26.313’
W048°49.829’
Laguna, SC

S 28°29.072’
W 048°45.978’
Laguna, SC

S 28°28.723’
W 48°46.974’
Laguna, SC
Custódia

S 28°25.775’
W 48°48.202’
Laguna, SC
Almir
Almir vende butiá às margens da BR-101 desde os 11 anos. No início, segurava os saquinhos com as mãos, apontando-os em direçao aos veiculos quando por ele passavam. Até o dia em que começou a servir-se de uma estrutura de madeira improvisada por ele mesmo, que lhe permitia deixar os frutos expostos à beira da estrada. Economia para os braços. Mais tarde, surgiram os refrigeradores em forma de fruta. Investiu e passou a produzir suco com os butias que nao eram vendidos. Os momentos de maior rentabilidade são aqueles em que os congestionamentos param o trânsito, deixando os motoristas sedentos e a mercê da estrada.

S 28°17.357’
W 048°42.406’
Vila Nova, Imbituba, SC

S 28°16.921’
W 048°42.101’
Vila Nova, Imbituba, SC
Nilton
O trem de cargas passa uma vez por semana. Assim como grande parte dos habitantes do bairro, Nilton costuma transitar pelos trilhos, inutilizados no resto do tempo. Trabalhava na fábrica de cerâmica da cidade, assim como muitos outros moradores do lugar. A fábrica fechou, deixando várias pessoas desempregadas. Ele teve a oportunidade de se aposentar antes disso. Hoje, passa seu tempo fazendo o que mais gosta: pesca, visita os parentes para uma prosa e joga futebol e dominó com os amigos.

S 28°12.924’
W 048°42.025’
Mirim, Imbituba, SC
Antônio
Há cinco anos, Antônio deixava seu Ceará natal para se instalar em Criciúma, SC. Ele e o irmão, cada um com seu veículo, circulam pela BR 101 comercializando produtos. No verão, vendem boias, no inverno, esculturas e materiais para festas, tudo proveniente do Ceará. Costumam parar em esquinas movimentadas, como as de postos de combustíveis, e lá aguardam os clientes. A espera faz de Antônio um espectador da estrada.

S 27°56.163’
W 048°39.792’
Paulo Lopes, SC

Estas imagens foram realizadas na parte sul-sudeste da BR 101. Foram percorridos, até então, trechos que compõem um terço dessa estrada. Faremos agora uma pausa em nossa road trip translitorânea para buscar subsídios e parcerias a fim de poder dar continuidade ao projeto. Nosso objetivo é estar de volta à estrada ainda em 2013, subindo rumo ao extremo norte da rodovia que acompanha o litoral brasileiro. Nossos agradecimentos aos que participaram, apoiaram, acompanharam, comentaram e divulgaram o trabalho. Convidamos aqueles que ainda não o fizeram a se inscreverem em nossa newsletter e a acompanharem nossa road trip.
Até breve!
Andrea Eichenberger

Anúncios